A importância do BEA no combate aos incêndios e queimadas ilegais

No quadro de Direito Ambiental desta semana, a Dra. Alessandra Panizi visitou o Batalhão de Emergências Ambientais de MT – BEA, e na ocasião conversou com a Comandante da unidade, tenente-coronel BM Jusciery, sobre a trabalho desenvolvido pelos Bombeiros no combate aos incêndios florestais e queimadas ilegais.

Assista abaixo a primeira parte desta entrevista. Aperte o Play!

Batalhão de Emergências Ambientais – BEA

O Corpo de Bombeiros Militar é a instituição legitimada pela Constituição do Estado de Mato Grosso, em seu artigo 82, para a realização de serviços de prevenção e extinção de incêndio. Neste contexto, todas as Unidades Operacionais Bombeiro Militar, possuem entre as suas responsabilidades a missão de prevenir e o combater os incêndios florestais no seu perímetro de atuação.

O Corpo de Bombeiros Militar é a instituição legitimada pela Constituição do Estado de Mato Grosso, em seu artigo 82, para a realização de serviços de prevenção e extinção de incêndio. Neste contexto, todas as Unidades Operacionais Bombeiro Militar, possuem entre as suas responsabilidades a missão de prevenir e o combater os incêndios florestais no seu perímetro de atuação.

O Batalhão de Emergências Ambientais – BEA, é uma unidade especializada que atua no trabalho de combate aos incêndios florestais nos biomas mato-grossenses Pantanal, Cerrado e Amazônia.

O Governo de Mato Grosso investiu cerca de R$ 1 milhão, recursos somados com valores oriundos das parcerias com outras instituições, que também atuam na preservação do meio ambiente, para a restruturação de uma sede própria que foi entregue ao CBM-MT.

A importância do BEA no combate aos incêndios e queimadas ilegais

A unidade possui 2.361.32m² construída, dentro do terreno de 3.256.10 m². São 20 salas, sendo administrativas, auditório com capacidade para 50 pessoas, sala de convivência, copa, cozinha, sala de almoxarifado, banheiros e garagem coberta para o estacionamento da frota de viaturas.

A comandante do BEA, tenente-coronel BM Jusciery Rodrigues Marques, relembrou que antes da estruturação desta unidade, os militares foram alocados de forma provisória em outros quarteis dos bombeiros, mas agora, todo trabalho prestado será fortalecido com a reestruturação do local que terá base fixa.

Este ano, o BEA completa 12 anos de existência, mas nunca tivemos uma base própria, houveram sete mudanças, e nossa equipe era inserida dentro de alguma sala para funcionar. Agora, nossa base é realidade, resultado do trabalho realizado pela gestão do governador Mauro Mendes no repasse de recursos, junto com nossos parceiros, que também destinaram verbas para construção dessa unidade. Um trabalho de parceria para fortalecer nossos mecanismos para atuar no trabalho de proteção dos biomas”, declarou a comandante.

Segunda informa a tenente coronel, a Sala de Situação é um importante pilar da unidade que possui recursos tecnológicos para o monitoramento dos biomas em Mato Grosso. O resultado de toda essa estruturação com outras demais ações, gerou expressivos resultados em 2021, com redução nos focos de calor em todos os biomas mato-grossenses: Pantanal 82,09%, Cerrado 52,17% e Amazônia 42, 43%.

Estão integrados nesta ação as seguintes instituições: Programa REM, Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira, Tribunal Regional do Trabalho TRT, Sétima Vara Criminal de Cuiabá/Tribunal de Justiça do Estado e TAC junto à Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e Secretaria de Estado de Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Batalhão de Emergências Ambientais participou de feira mundial de combate a incêndios florestais

O Batalhão de Emergências Ambientais participou da edição de 2022 da INTERSCHUTZ, na cidade de Hanover, na Alemanha. Trata-se de uma feira, que é a maior referência mundial para bombeiros, serviços de resgate, proteção civil e segurança. A viagem foi custeada com recursos do Programa REM Mato Grosso.

Na feira, fabricantes de todo o mundo apresentaram as mais recentes ferramentas, equipamentos e tecnologias utilizadas no combate a incêndio florestal, bem como outras áreas como resgate, salvamento e combate ao incêndio urbano“, explica a tenente-coronel Jusciery.

A importância do BEA no combate aos incêndios e queimadas ilegais

A comandante também atentou para o fato de que o Corpo de Bombeiros de Mato Grosso é referência nacional na “utilização de ferramentas tecnológicas no auxílio à prevenção, preparação, resposta e responsabilização a incêndios florestais“. Por isso, conforme Jusciery, é importante que o BEA participe de eventos de capacitação, como foi a INTERSCHUTZ, para se atualizar quanto às novidades do setor.

Na feira internacional de INTERSCHUTZ tivemos a oportunidade de conhecer novas tecnologias para serem usadas no enfrentamento às queimadas e incêndios florestais“, enfatizou a comandante do BEA.

Dra. Alessandra Panizi

Dra. Alessandra Panizi - Agronews

Doutora em Ciências Jurídicas e Sociais junto à UMSA Universidad del Museo Social Argentino. Especialização em Perícia Auditoria e Gestão Ambiental – Oswaldo Cruz. Especialização em Direito Agroambiental – Fundação Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso. Especialização em Capacitação às Carreiras Jurídicas – Fundação Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso. Graduação em Direito pela UNIC – Universidade de Cuiabá.

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *