Algodão: contrato de julho de 2023 exibiu redução

A Conab divulgou a primeira estimativa para a safra 2022/23 do algodão brasileiro, confira

Por Daniele Balieiro/AGRONEWS® com informações do Imea

O preço atrativo da pluma e a antecipação da comercialização do ciclo 2022/23 são os principais fatores que tendem a influenciar os cotonicultores a destinarem mais áreas ao cultivo do algodão. Dessa forma, é previsto que na safra 2022/23 a área do algodão brasileiro atinja 1,63 milhão de hectares, elevação de 1,95% ante o ciclo 2021/22, puxada pelo aumento nas regiões norte (+12,43%) e centro-oeste (+2,41%), respectivamente.

Assim, é esperado que o Brasil produza na safra futura 2,92 milhões de toneladas de pluma, incremento de 6,81% ante a estimativa para a temporada 2021/22. Por fim, diante da maior perspectiva de produção para a safra 22/23, é esperado que o volume exportado aumente 4,00% quando comparado com o previsto para o ciclo 21/22, atingindo 1,98 milhão de toneladas de pluma.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Mercado Financeiro

  • Baixa: seguindo as incertezas a respeito do futuro da economia global, o contrato de julho de 2023 exibiu redução de 0,86% na semana, cotado na média de ¢ US$ 103,61/lp;
  • Queda: reflexo da diminuição dos preços na Bolsa de NY, a paridade julho de 2023 apresentou redução de 1,66% em relação à semana passada, cotada a R$ 197,07/@;
  • Redução: com a maior oferta do subproduto no estado, o caroço de algodão exibiu baixa de 0,86% no comparativo semanal, precificado na média de R$ 1.528,50/toneladas.

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.