Mercado FinanceiroNotícias

Carne a base de plantas esta perdendo mercado nos EUA a medida que as vendas caem

Carne-a-base-de-plantas-esta-perdendo-mercado-nos-EUA-a-medida-que-as-vendas-caem

Com preços 30-40% mais caros do que a carne real, necessidade de melhorias no sabor e textura, obstáculos da cadeia de suprimentos e outros fatores, carne a base de plantas esta perdendo mercado nos EUA, avaliam especialistas.

Queda no consumo de carne a base de plantas

A carne a base de plantas está perdendo seu tamanho com a queda nas vendas nos EUA, lançando uma sombra sobre as expectativas de que a categoria de proteínas alternativas tiraria um pedaço do mercado real de carne animal.

Nas quatro semanas até 3 de outubro, as vendas de carne a base de plantas caíram 1,8% em comparação com o ano anterior, caindo para 0,6% em 2021, de acordo com o grupo de dados de varejo dos EUA SPINS.

Um aumento nas vendas de carne a base de plantas no início da pandemia, em 2020, estabeleceu um grande obstáculo para o crescimento este ano, mas a demanda também foi afetada por consumidores comendo menos em casa, à medida que as restrições foram retiradas. Outro fator foram problemas na cadeia de suprimentos que tornaram alguns produtos indisponíveis nas prateleiras. Em algumas situações, esta onda de novos produtos estava sobrecarregando os consumidores, avalia a SPINS.

Mercado Americano

Os EUA são o maior mercado para “novas” carnes à base de plantas que simulam carne real em sabor e textura. O declínio nas vendas ocorre após números fracos de receita nas últimas semanas da Beyond Meat e da Maple Leaf Foods, o grupo canadense de carnes que possui a especialista em proteínas à base de plantas Green Leaf.

Nos últimos seis meses, inesperadamente, houve uma rápida desaceleração nas taxas de crescimento da categoria de proteína à base de plantas”, disse Michael McCain, executivo-chefe da Maple Leaf, a analistas no início deste mês.

Carne a base de plantas

McCain atribuiu a queda de 6,6% nas vendas de proteínas vegetais da empresa a quedas em toda a categoria – de alimentos refrigerados à varejo e serviços de alimentação. O grupo estava revisando as causas, disse ele, para tentar entender as mudanças no mercado.

Carne real em alta

A Maple Leaf superou as expectativas de receita com um aumento de 13,4% nas vendas em sua divisão de carnes reais. Analistas da BMO disseram esperar que a revisão do mercado de proteínas à base de plantas leve a uma redução nos gastos de capital e marketing, o que deve melhorar os resultados no próximo ano.

As ações da Beyond Meat despencaram desde que registrou US$ 106 milhões em vendas no terceiro trimestre, após rebaixar sua projeção anterior de US$ 120 milhões a US$ 140 milhões no mês passado.

Ethan Brown, presidente executivo, culpou os consumidores por fazerem menos compras e serem menos abertos a experimentar novos produtos, além de estarem menos interessados ​​em opções saudáveis. Ele também mencionou oportunidades reduzidas para amostragem de produtos, já que a variante Delta espalhou a exposição limitada do consumidor.

Carne a base de plantas

A queda nas vendas ocorre em um momento em que mais startups e empresas de alimentos estão oferecendo novos produtos à base de carne de vegetais. Os participantes mais recentes estão oferecendo “cortes” realistas de carne usando técnicas como a impressão 3D. (clique aqui para ver a matéria completa sobre esta tecnologia)

Preços elevados e capacidade de produção ainda são entraves no crescimento

Bahige El-Rayes, da consultoria Bain, disse que com alternativas de carne a base de plantas ainda 30-40% mais caras do que a carne real e necessidade de melhorias no sabor e textura, um aumento na capacidade de produção para cortar custos e mais pesquisa e desenvolvimento são essenciais. Tudo isso para que a categoria continue crescendo.

Preocupações com o impacto ambiental do gado e sustentabilidade, estimularam investimentos em proteínas alternativas nos últimos anos.

Expectativas

Em 2020, as startups de proteínas alternativas arrecadaram um capital recorde de US$ 3,1 bilhões, dos quais a carne, laticínios e ovos à base de vegetais arrecadaram US$ 2,1 bilhões. Os investidores parecem otimistas com a categoria como sempre, como a Impossible Foods anunciando este mês que fechou uma rodada de financiamento de US$ 500 milhões, levantando quase US$ 2 bilhões desde que foi fundada em 2011.

Alguns executivos acreditam que a queda nas vendas é temporária. Steven Cahillane, executivo-chefe da Kellogg, que possui a marca MorningStar Farms de produtos à base de plantas, disse que a pesquisa com consumidores da empresa mostrou que “ainda há muito entusiasmo e empolgação” por alternativas à carne.

Qual a sua avaliação sobre este cenário da carne a base plantas? Escreva nos comentários!

* Com informações de Financial Times

AGRONEWS® é informação para quem produz

Artigos relacionados
GeralNotícias

Presidente do Indea destaca abertura de novos mercados e maior valorização da carne mato-grossense

Mercado FinanceiroNotícias

Exportação de carnes em 2022 gera receita cambial superior aos US$5,5 bilhões

Infomercados BRNotícias

A informação relevante por trás do recorde de exportações de carne bovina

GeralMato GrossoNotícias

Mato Grosso cria Grupo de Trabalho para implantação de sistema de rastreabilidade para a cadeia da carne

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.