Postos brasileiros registram baixa de 1,53% no preço do etanol e estabilidade no litro da gasolina, diz Ticket Log

A Região Sudeste lidera com o maior recuo no preço do etanol (2,79%); em São Paulo a baixa foi de 5,04%, sendo a maior variação de queda de todo o território nacional

De acordo com último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), os postos de combustíveis brasileiros apresentaram estabilidade no valor médio da gasolina logo nos primeiros dias de fevereiro. O combustível fechou o período a R$ 6,868, valor 0,09% mais baixo em comparação com o fechamento de janeiro. Já o etanol, registrou baixa de 1,53%, em relação ao mês anterior, e fechou a R$ 5,670.

“O preço da gasolina segue uma tendência de estabilidade. Porém, já podemos ver o reflexo nas bombas de todo o País, da medida que autorizou no final do ano passado a venda direta de etanol hidratado para os postos, com destaque para o Sudeste, Sul e Centro-Oeste. No Estado de São Paulo os postos registraram um recuo de 5,04% no litro do combustível. Também devemos ficar atentos aos reflexos das tensões internacionais que tendem a impactar o comportamento do preço dos combustíveis aqui no País nos próximos dias”, destaca Douglas Pina, head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

No recorte por Região, todas apresentaram queda ou estabilidade do preço médio da gasolina, exceto o Norte, que registrou um pequeno aumento de 0,22%, passando de R$ 6,889 para R$ 6,904. Bem como no fechamento de janeiro, a gasolina mais cara no País foi novamente comercializada no Sudeste, a R$ 6,952; e a mais barata no Sul, a R$ 6,567. O Centro-Oeste apresentou o maior recuo para a gasolina (0,56%), passando de R$ 6,914 para R$ 6,875.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Já o preço médio do etanol registrou baixa em todas as regiões brasileiras, que chegaram a 2,79%, como foi o caso da Região Sudeste. Novamente o Centro-Oeste comercializou o etanol pelo menor valor, a R$ 5,330, um recuo de 2,63%, em relação ao mês anterior. As maiores médias para o combustível foram encontradas no Norte, a R$ 6,021, um recuo de 0,97% em relação a janeiro.

No recorte por Estado, São Paulo se destacou no período com a menor média para o etanol e com o maior recuo no preço do combustível (5,04%), passando de R$ 4,942 para R$ 4,693. Novamente as bombas do Pará comercializaram o etanol pelo maior preço médio do País, a R$ 6,560. Já o Sergipe se destacou com o maior aumento no valor do combustível (0,64%), passando de R$ 5,595 para R$ 5,631.

Assim como em janeiro o maior preço médio para a gasolina foi encontrado no Rio de Janeiro, a R$ 7,257 e o menor no Amapá, a R$ 6,388. A gasolina com maior aumento (1,29%) foi registrada nos postos baianos, com o valor ultrapassando R$ 7,00 (R$ 7,049). Já a maior redução (1,73%) foi apresentada no Rio Grande do Sul, com o litro de R$ 6,642, comercializado a R$ 6,527.

“Na análise sobre o combustível mais vantajoso para abastecimento, segundo a relação 70/30, também houve uma mudança no comportamento. No fechamento de janeiro, o etanol se apresentava como uma opção mais favorável apenas para o Estado de Goiás. Já neste último levantamento, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso também tiveram o combustível como uma opção mais econômica para abastecimento. A gasolina é considerada a opção mais vantajosa para o restante dos Estados, exceto para Amapá, onde não foi possível analisar”, conclui Pina.

Por Ticket Log

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.