conecte-se conosco

Especialistas

Tecnologia 5G vai ajudar reduzir custos e aumentar ainda mais a produção do agronegócio

Publicado

em

5g

Mato Grosso foi o estado brasileiro escolhido para instalar a primeira antena rural para internet 5G

A tecnologia vai funcionar em caráter experimental em uma fazenda do Instituto Mato-grossense de Algodão, localizada no município de Rondonópolis, à 219 km da capital Cuiabá. A expectativa é que, quando esse tipo de conexão for disponibilizada em larga escala, ajude o produtor a reduzir custos e ganhar produtividade, com o auxílio de drones, chips e GPS.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

5G,tecnologia 5g,internet rural,agronews
Prof. Daniel Miranda Cruz, coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação da UFMT

Para o professor Daniel Miranda Cruz, coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), a região sul de Mato Grosso possui uma participação industrial do agronegócio muito grande e é polo de referência para o Estado. Ele aponta que essa pode ter sido o motivo para escolha dessa região para essa experiência com a nova tecnologia 5G. “Desta forma, essa escolha pode ter levado em consideração o fato de que a região já possui iniciativas em atividade no setor com tecnologias e procedimentos avançados, isso facilita a implantação de um ambiente conectado”, ressaltou Daniel.

Mato Grosso, celeiro agropecuário, é o maior produtor nacional de milho, carne bovina, etanol de milho, algodão, soja, e têm contribuído com crescimento da economia brasileira, conquistando cada vez mais o mercado internacional. Com essa nova tecnologia, poderá ajudar ainda mais na produção e nos negócios do agronegócio. “No desenvolvimento de sistemas de controle e automação é muito comum a ideia de que quanto mais informações for possível retirar do processo, ou quanto melhor for o seu sistema de medição, melhor será o controle daquele processo”, pontou Daniel.

5G,tecnologia 5g,internet rural,agronews
Prof. José Benedito Martins, professor de Engenharia Elétrica, Eletrônica e Telecomunicações do IFMT

O engenheiro eletricista José Benedito Martins, que é professor de Engenharia Elétrica, Eletrônica e Telecomunicações do IFMT (Instituto Federal de Mato Grosso), acredita que com a conexão 5G haverá um desenvolvimento na agricultura de precisão com dados online sobre a umidade do solo, produtividade por metro quadrado da área plantada, índices pluviométricos de pontos da área plantada, monitoramento das máquinas agrícolas na execução dos trabalhos de plantio e coleta entre outros. Ou seja, uma equipe técnica poderá fazer o acompanhamento a distância, e as máquinas como tratores poderão funcionar de forma mais autônoma. Além disso, informações precisas sobre o comportamento e a saúde de animais poderão ser obtidas de forma bem mais detalhada.

Leia também:  Após recordes em 2020, volume e faturamento com exportações do agro seguem elevados neste ano

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a digitalização do agronegócio reforçará o papel do Brasil como “protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção”, levando, inclusive, a cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais de áreas remotas.

Daniel Cruz destaca ainda que quando uma tecnologia permite que você adicione uma grande quantidade de sensores em todas as etapas da cadeia produtiva e possibilite que as informações desses sensores sejam trocadas de forma rápida, com certeza os ganhos que podem ser alcançados são altos. Ele acrescenta ainda que no caso do agronegócio, por exemplo, muitos fatores podem ser mensurados com o uso da tecnologia ao longo dos processos de cada cultura, e destacou:

1 – Acompanhamento do crescimento das culturas com uso de drones

Esses equipamentos podem realizar a varredura das plantações captando imagens de alta definição para o acompanhamento do crescimento, identificação de pragas, verificação da área plantada e outros. Também é possível fazer a aplicação de agrotóxicos de forma localizada diminuindo os gastos e utilização desses insumos. Também é possível usar drones terrestres equipados com maquinário para remoção de ervas daninha tudo funcionando de forma autônoma e em alguns casos 24h por dia.

Leia também:  Algumas commodities já reverteram toda a valorização de 2021

Com isso é possível diminuir as perdas com pragas indesejadas e compra de agrotóxicos, o que aumenta o lucro total.

2 – Acompanhamento de Maquinário

Cada vez mais os maquinários agrícolas para as colheitas mecanizadas estão recebendo avanços tecnológicos. Com o 5G será possível fazer a configuração de plantio ou colheita de forma automática. O proprietário poderá ter acesso à todas as informações em tempo real da máquina como consumo de combustível, velocidade de colheita, dados relevantes para manutenções.

3 – Acompanhamento de Estoque

Nesse caso, após a colheita é possível inserir sensores que monitoram a situação dos fardos ou silos de armazenamento como a temperatura, umidade, quantidade total, tempo em estoque e outros fatores importantes.

4 – Acompanhamento de Serviços

É possível que operários tenham em seus equipamentos um dispositivo que transmite em tempo real todas suas ações. Isso tem sido aplicado em cidades para operações policiais, mas pode ser adaptado à situação de monitoramento ou auxílio em tempo real de alguma manutenção que um operador vai realizar em um maquinário ou em algum setor da fazenda.

agronews
Tecnologia 5G

Toda essa infraestrutura, associada com tecnologias inovadoras com base em inteligência artificial e análise de dados pode trazer inúmeros ganhos para o produtor e seus negócios.

Com a conexão 5G será possível alcançar velocidades de transmissão e recepção de dados muito maior. Ou seja, quando você der um “enter” no computador, o arquivo baixa quase que instantaneamente na tela devido à baixa latência. Nesse caso, é o fator que assegura a qualidade na velocidade da internet, uma expressão de quanto tempo leva para um pacote de dados ir de um ponto designado para o outro, o sinônimo de latência na rede é de atraso. “Isso vai viabilizar a utilização de aplicações que naturalmente consomem mais dados como por exemplo vídeo-chamadas que estão em alta com a pandemia. Em casos mais especiais, envio de imagens em alta definição capturadas por drones, visualização em tempo real de dados de produção, monitoramento e controle de máquinas e da produtividade, identificação de problemas e implementação de ações corretivas com maior rapidez seja em qualquer tipo de negócio”, garantiu professor Daniel Cruz.

Leia também:  Atenção produtor! Não perca o prazo para atualizar seu rebanho

Como é um sistema novo, requere que os aparelhos também possuam a tecnologia implementada. Assim como foi com o 3G e 4G nos celulares, esses aparelhos terão um valor maior inicialmente. Com a disseminação da tecnologia e maior utilização, os custos acabam diminuindo naturalmente. “A tecnologia 5G trará evolução nas áreas médica, agricultura, jogos online e internet das coisas, ou seja, cada vez mais surgem eletrodomésticos, meios de transporte e até mesmo tênis, roupas e maçanetas conectadas à internet e a outros dispositivos, como computadores e smartphones”, concluiu o professor José Benedito Martins, que atuou por 27 anos na área de telecomunicação.

Abaixo você confere a matéria feita pelo canal Olhar Digital

Por Márcio Moreira – AGRONEWS

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente sobre esta matéria

Tendências