Vídeo: Forte temporal de granizo atinge Santa Catarina

Com o forte temporal de granizo, algumas residências foram danificadas na região oeste do estado, veja os detalhes.

No início da tarde deste domingo (7), um forte temporal de granizo atingiu os municípios de Passos Maia, Abelardo Luz, Xanxerê e Vargeão. Foram registrados vídeos e fotos, e algumas casas foram danificadas na região Oeste e Meio-Oeste de Santa Catarina.

Segundo o alerta da Defesa Civil, até a tarde e noite de domingo (7), a chuva vem na forma de pancadas e acompanhadas por temporais principalmente entre o Extremo Oeste e o Litoral Norte. A mudança vem devido ao fluxo de calor e umidade da região amazônica.

Os maiores volumes de chuvas acumulado são esperados para áreas entre o Extremo Oeste e o Planalto Norte, ficando entre 50 e 70mm.

Abaixo você pode conferir um vídeo que foi compartilhado nas redes sociais por uma moradora da região atingida pelo granizo.

Em casos de tempestades, as recomendações da Defesa Civil são:

  • Buscar um local abrigado, longe de placas, de árvores e postes de energia;
  • Ficar longe das janelas e desligar os aparelhos eletrônicos das tomadas;
  • Jamais ficar na água;
  • Não dirigir em locais alagados;
  • Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas;
  • Cuidar com as crianças próximas de rios e ribeirões.

CLIMATEMPO alerta para passagem de forte frente fria sobre o Brasil

A segunda semana de agosto será marcada por uma atmosfera explosiva sobre o Brasil, pouco comum neste mês, que é parte do período normal de estiagem. Diversos eventos meteorológicos especiais poderão ocorrer, em todas as regiões do país, por causa da passagem de uma grande e forte frente fria. Áreas que estão a cerca de 100 dias sem chuva relevante (igual ou acima de 10mm em 24 horas), poderão ter um pouco de chuva.

Esta frente fria começa a se formar entre o Brasil, o Paraguai e o norte da Argentina durante a segunda-feira, 8 de agosto, mas só se organiza completamente na terça-feira, 9 de agosto, junto com um ciclone extratropical que se forma sobre o Sul do Brasil. Este sistema desloca-se sobre o interior do Brasil nos dias 9, 10 e 11 de agosto. Esta frente fria traz também uma forte massa de ar frio de origem polar.

A passagem desta frente fria tem potencial para provocar chuva forte, vento forte, granizo, brusca e acentuada queda da temperatura. Também há risco de geada e não se pode descartar completamente a possibilidade de precipitação invernal, como chuva congelada e/ou neve, e ainda fenômenos como tempestade de poeira. Além de todos estes fenômenos, o ciclone extratropical que se forma com esta frente fria vai provocar ventos fortes na costa do Sul e do Sudeste elevando as ondas.

Na segunda-feira, o tempo instável já muda de rumo e passa a se posicionar no sul catarinense, com a formação de um ciclone extratropical, que deve ocorrer entre terça-feira (9) até quinta-feira (11). No período, a chuva mais intensa deve se concentrar entre o centro e o leste do estado, resultando em volumes altos e apresentando risco para alagamentos, deslizamentos e inundações.

Na Grande Florianópolis e no Litoral Sul, os volumes de chuva esperados podem superar 150mm. No Vale do Itajaí, Planalto Sul e Litoral Norte, a chuva pode ter volume variado entre 70 e 100mm.

O tempo volta a se estabilizar no fim da quinta-feira (11) e sexta-feira (12), com o afastamento do ciclone para o alto mar e o avanço de uma massa de ar seco e frio.

Próximas ocorrências

A ocorrência de granizo também é outro fenômeno que pode acontecer com esta situação meteorológica especial da segunda semana de agosto de 2022. A possibilidade do fenômeno é considerada para os estados da Região Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Sul/sudoeste de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, nas áreas a oeste e sul de Mato Grosso, com algum risco também em Rondônia e Acre.

Granizo

Granizo (ou saraiva) é a forma de precipitação que consiste na queda de pedaços irregulares de gelo, comumente chamados de pedras de granizo. Essas pedras, na Terra, são compostas por água no estado sólido e medem entre 5 e 200 mm de diâmetro, sendo as pedras maiores provenientes de tempestades mais severas. A queda de glóbulos ou pedaços de gelo que têm entre 5 e 50 mm ou mais de diâmetro é denominada saraiva, sendo que este termo também é utilizado por muitos institutos meteorológicos para se referir a qualquer tempestade com queda de gelo. O código Metar classifica como GR o granizo com 5 mm de diâmetro ou mais, enquanto que quando há pedras menores é codificado como GS. É possível, dentro da maioria das tempestades, o granizo ser produzido pelas nuvens cumulonimbus. Sua formação requer ambientes de forte movimento para cima da atmosfera da tempestade (semelhante aos furacões) e baixa altura do nível de congelamento. É mais frequente a formação ocorrer no interior dos continentes, dentro de latitudes médias da Terra, confinando-se a altitudes mais elevadas dentro dos trópicos.

Existem métodos para detectar tempestades de granizo usando imagens de satélites e radares meteorológicos. O granizo geralmente cai em maior velocidade à medida que cresce em tamanho, embora fatores complicadores, como a fusão, o atrito com o ar, o vento e interação com a chuva e outras pedras possam retardar sua descida pela atmosfera da Terra. Avisos de tempo severo são emitidos quando atingem um tamanho prejudicial, pois podem causar danos graves a construções, automóveis e, mais comumente, à agricultura.

Qualquer ocorrência deve ser comunicada à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através dos telefones 199 ou 193

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.