Mercado Financeiro

Confira o desempenho do frango vivo em outubro e nos 10 primeiros meses 2021

No último dia de negócios de outubro (30), o frango vivo negociado no interior de São Paulo foi cotado a R$6,00/kg, ou seja, mesmo valor registrado em 20 de julho passado. E como, neste primeiro dia útil de novembro (01), tende a permanecer com idêntica cotação, irá completar 110 dias corridos sem qualquer alteração no preço registrado

Mas se o preço permanece inalterado, as condições de comercialização mudaram radicalmente nestes três meses e meio. Pois, entre a segunda quinzena de julho e, aproximadamente, o final de setembro e primeiros dias de outubro a demanda foi ativa, garantindo a firmeza do mercado. Já na maior parte de outubro o mercado enfraqueceu: tornou-se calmo, o que implicou em várias negociações a valores inferiores aos da cotação de referência, com descontos que variaram em função das necessidades e interesses de comprador e vendedor.

À primeira vista, a debilidade do mercado de aves vivas estaria sendo ocasionada pelos sérios problemas enfrentados pela carne bovina, cujas exportações caíram praticamente à metade no mês. Essa questão, porém, afetou (por ora) apenas o boi em pé, sem se refletir nos preços ao consumidor, deixando claro que a carne de frango permanece competitiva frente à carne bovina.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Competitividade, porém, tem pequena valia frente à perda de poder aquisitivo do consumidor. E este é o problema-chave. Tanto que, no intuito de garantir preço, os frigoríficos avícolas recorreram minimamente aos fornecedores independentes de aves vivas (daí o enfraquecimento deste mercado). Sem sucesso, pois em outubro os preços do frango abatido retrocederam ao menor nível dos últimos três meses.

Em outras palavras, se o frango vivo continuou alheio a esse movimento de baixa é porque, aparentemente, há no mercado um reconhecimento tácito de que a cotação atual continua correspondendo ao mínimo necessário para assegurar que a produção se mantenha ativa. Ainda assim, não se pode descartar a possibilidade de algum retrocesso. Pois as indefinições que pairam em torno do mês de novembro podem fazer deste um mês mais difícil que os anteriores.

Por Avisite

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados