Pecuarista encontra cabrito ciclope mutante no meio do rebanho de caprinos

Faço esse trabalho há 25 anos. É a primeira vez que encontro algo assim. Nunca vi ou ouvi falar de tal coisa”, afirma o pecuarista.

Ahmet Kartal é um fazendeiro da vila de Gokmusa, que fica na província de Kilis, na Turquia. Ele cria animais há 25 anos e jamais imaginou que, um dia, veria uma criatura tão esquisita como o novo membro de seu gado caprino: um cabrito ciclope mutante, nascido com um estranho ‘olho’ bem no meio da testa.

Segundo o pecuarista, ele estava fazendo uma ronda de rotina entre seus animais e notou que uma cabra bebê havia nascido. Inspecionando o animal mais de perto, Kartal viu que os olhos do bichinho eram como os da temível besta da mitologia grega.

cabrito ciclope mutante

Eu estremeci quando vi o cabrito pela primeira vez no celeiro. Não fez barulho, mas quando tirei a foto, senti como se ele estivesse me observando”, explicou o fazendeiro. “Faço esse trabalho há 25 anos. É a primeira vez que encontro algo assim. Nunca vi ou ouvi falar de tal coisa”.

Ele diz que não tem condições de cuidar adequadamente do filhote. “Eu não posso lidar com isso, eu quero que as autoridades o levem embora e possam mantê-lo vivo”.

Mutação conhecida como ciclopia é mais comum em bovinos e suínos

Os ciclopes da mitologia grega tinham apenas um olho no meio da testa. Mas o cabrito de Ahmet é ainda mais estranho: ele tem dois pequenos olhos, mas dentro de apenas um soquete orbital.

Ahmet Uyar, do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Hatay Mustafa Kemal, que fica em Antakya, no sul da Turquia, disse que o olho central do cabrito foi causado por uma anomalia que se caracteriza por dois olhos distintos nascendo juntos.

Essa condição é conhecida cientificamente como ciclopia”, disse Uyar. “Cada olho deveria estar em um soquete orbital separado, mas, neste caso, ambos os olhos são pequenos e estão em um só soquete orbital

cabrito ciclope mutante

Uyar explica que, no caso do cabritinho de Kilis, há também uma anomalia no nariz (que tem apenas uma narina), nos ouvidos e na mandíbula inferior, maior do que o normal. “São anomalias congênitas. É uma condição que, ocasionalmente, encontramos em humanos e animais”.

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), a ciclopia é um fenômeno muito raro em caprinos e mais frequente em bovinos e suínos. Mas, pode acometer outras espécies. No ano passado, um cachorro ciclope viveu apenas duas semanas nas Filipinas.

* Com informações de olhar digital

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.